terça-feira, 5 de abril de 2016

O Rosmaninhal está mais bonito? Está!

Não deixa qualquer dúvida a preocupação da autarquia em dar arrumação e embelezar alguns espaços que de há muito se foram degradando. Também não é de agora que falamos nestes espaços que pelo abandono se tornaram verdadeiras nódoas em pano branco. Mas também não pode ser a autarquia a resolver tudo porque os custos seriam elevados, tem que ser os proprietários a colaborarem.
Enfim Roma e Pavia não se fizeram num dia!
No entanto gostaria de fazer um pequeno pedido,se eu me preocupo em salvaguardar o Património Arqueológico da nossa linda terra ao ponto de, sem qualquer apoio a não ser dos amigos recuperei uma velha casa para expor e salvaguardar esse património que é de nós todos,  não será pedir demais para que quem tem obrigação por zelar por ele, me ajude ao menos a valoriza-lo dignificando o seu espaço exterior.

     Foto de Carlos Torres - Rosmaninhal, terra linda onde eu nasci


    Foto de Mário Chambino

terça-feira, 20 de outubro de 2015

VILA DO ROSMANINHAL (Vila ou Aldeia)



A propósito de um comentário que surgiu no blog e porque gostaria de partilhá-lo convosco, porque além de ser muito pertinente é também de extrema importância para a história da nossa terra e das terras vizinhas, aqui deixo algumas palavras:
Anónimo Anónimo disse...
Boa tarde, assim que descobri este blogue surgiu-me uma interrogação que talvez alguem da terra ou mesma da zona me possa clarificar, as terras que há séculos atrás foram elevadas a vilas e foram até sedes de concelho, continuam a ter o estatuto de vila na actualidade, como o próprio nome do blogue indica "vila do Rosmaninhal" surgiu-me essa duvida, o Rosmaninhal e tantas outras terras como Penha Garcia, Salvaterra do Extremo, Monsanto, Zebreira e etc, continuam a poder ser chamadas de vila? Deixo aqui a duvida para alguém que me possa responder.


Caro Anónimo em primeiro lugar preferia saber para quem estou a responder, no entanto e porque quero ver neste anonimato identificados todos os raianos que gostam da sua terra e destas questões resolvi tecer aqui algumas considerações que gostaria também de partilhar com todos os que queiram acrescentar mais informação.
_______________________________
Segundo dados da Wikipédia (https://pt.wikipedia.org/wiki/Rosmaninhal) o Rosmaninhal é uma freguesia do concelho de Idanha-a-Nova, no distrito de Castelo Branco, em Portugal. Possui 266,59 km² de área e 537 habitantes (2011). Densidade: 2 habitantes por quilómetro quadrado.
Foi vila e sede de concelho entre 1510 e 1836, quando foi suprimido e anexado ao concelho de Salvaterra do Extremo até à extinção deste em 1855, data em que passou para o município de Idanha-a-Nova. O município era constituído por uma freguesia e tinha, em 1801, 907 habitantes.
Foi comenda da Ordem de Cristo.
________________________________
Depois desta introdução ficamos a saber de que o Rosmaninhal foi sede de Concelho desde 1510, segundo o foral dado por D. Manuel I, até à extinção do Concelho em 1836 por reforma administrativa do Liberalismo que extinguiu, na mesma altura, outros 465 concelhos para além do secular concelho do Rosmaninhal que poderia já ser mais antigo caso exista um foral dos primeiros Reis de Portugal. Esta parece uma decisão política de âmbito nacional, que é como deve ser compreendida e não por outras razões, por exemplo de natureza local ou de retaliação como também se acredita e alimenta, por algumas terras ter apoiado a causa absolutista. Tudo isto será matéria para desvendar!
De qualquer das formas fica ainda a dúvida. Será que por ter sido extinto o Concelho perdeu o título de Vila? Enquanto não existirem provas disso na minha opinião o Rosmaninhal continua a ser Vila. Pelos requisitos actuais não tem condições para o ser mas por razões Históricas como já aconteceu com outras localidades tem, porque já o era pelo menos desde 1510. A prová-lo ostenta no seu Brasão quatro Castelos, não os três de Aldeia nem os cinco de Cidade.


O Rosmaninhal é Vila assim como as outras Vilas Históricas da Raia. É a minha opinião.

terça-feira, 26 de maio de 2015

FEIRA DA BADANA (FEIRA DO GADO - 30 DE MAIO)







quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

FELIZ ANO DE 2015


Estamos no final de 2014, foi um bom ano. Para muitos sim para a grande maioria não.
Mas não é admiração, sempre assim foi e sempre assim será.
De que valem vir todos os anos os políticos, os religiosos, os adivinhos e todos os que quiserem “botar” umas baboseiras para fora da boca com promessas e apelos para a paz, para a compreensão humana para erradicar a fome, para que?
Todos estão pensado camuflar o que pretendem roubar para o próximo ano, essa é que é a verdade.
Quanto mais falhado está o materialismo mais acredito na utopia, até porque sonhar é livre e não paga impostos. Deus é grande e escreve por linhas tortas, mas no fim está tudo certo!
Voltando á terra ou antes á nossa RAIA, foi um ano animado. As freguesias do Concelho de Idanha embora cada vez com menos gente mostram vitalidade talvez querendo provar que não estão para acabar. Mas que há sérios riscos disso acontecer, lá isso há!
O turismo pretende ser um importante fator económico para manter e revitalizar o mundo rural, mas atenção por este andar vamos ter que por no campo rebanhos de ovelhas, manadas de vacas, varas de porcos e atividade agrícolas com modelos de plástico para os turistas verem, porque por este andar, só vão ver paisagem, que por sinal não é nada má, faz inveja a muitas outras regiões do pais e do mundo.
Para terminar esta minha baboseira, mais uma vez lembro os raianos, que são os que comigo vivem a raia, que neste tempo difícil e perigoso que vivemos, devemos ser menos egoístas, ver o que o nosso vizinho precisa, uma pequena ajuda pode fazer toda a diferença. Devemos investir na novidade, se investirmos todos no mesmo, cairemos todos juntos. Roubar não é solução. A vida de ladrão é curta e só é boa enquanto dura depois pode ser um pesadelo.
Lembrem-se também que não somos o melhor, o mais inteligente ou o mais forte, há sempre alguém que nos iguala ou nos supera.
Quero também endereçar um pensamento de pesar e consolação para todos os que perderam alguém querido ou amigo. A vida é uma constante renovação e a alegria dos que nascem compensam sempre um pouco aqueles que perdemos.
Por fim desejo a todos um bom final de ano e que 2015 seja melhor que este ano que hoje finda.

Um abraço do tamanho da RAIA.

sábado, 15 de novembro de 2014

5º FESTIVAL DE VINHOS E LICORES


S. MIGUEL DE ACHA


O Festival dos Vinhos e Licores está de volta a São Miguel de Acha, concelho de Idanha-a-Nova, no fim de semana de 15 e 16 de novembro.
É já a quinta edição de um evento temático que tem conquistado o seu lugar entre os melhores e mais concorridos da região.
Provas e concursos de vinhos e licores, feira de produtos regionais, um percurso pedestre pela rota das vindimas, o tradicional magusto, boa gastronomia, música e animação contagiantes são os ingredientes de um festival acolhedor e divertido.
O certame tem inauguração marcada para as 15 horas de sábado, com provas de vinhos e licores nas tasquinhas que preenchem o recinto.
A edição deste ano promete proporcionar momentos únicos aos visitantes. Assim, a tarde de sábado é abrilhantada por uma prova de seventre promovida pela Confraria de Seventre de São Miguel de Acha, enquanto o 5º Concurso de Vinhos e Licores e a maior sangria de licor de Portugal - confecionada no local - antecedem o magusto na tarde de domingo.
Destaque ainda para a apresentação oficial da marca de licores "Acha Doce", no sábado, e do Geo Vinho Súbito - Touriga Nacional, no domingo, que poderá degustar.
O festival termina com o espetáculo "Alfama, uma História de Fado", com a participação especial da fadista Mara Pedro.
O Festival dos Vinhos e Licores é uma organização conjunta da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova e da Junta de Freguesia de São Miguel de Acha, promovida pela Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa e pelo PROVERE Beira Baixa, e co-financiada pelo QREN, no âmbito do Programa Mais Centro e da União Europeia através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

sábado, 25 de outubro de 2014

ULTRA-MARATONA PEDESTRE (TEJO INTERNACIONAL)



Mais uma vez quero propor-vos um desafio, o que acham, será muito difícil ir a pé de Castelo Branco por Monforte até ao Rosmaninhal, fazendo cerca de 50 Kms? 

Muito bem venham descobrir!

Dia 8 de Novembro (Sábado) eu e um grupo de amigos vamos fazer esta experiencia, partimos pelas 4h30 (da manhã) e devemos chegar ao Rosmaninhal pelas 16h00, depois regressaremos a Castelo Branco de Autocarro (oferecido pela Câmara de Idanha-a-Nova).

Quanto á logística, darei notícias logo que consiga reunir todas as inscrições e informações para o passeio.


Já somos 15 e o limite de participantes será 25, isto devido ao autocarro. Quem tiver transporte próprio para assegurar o regresso tem sempre lugar. 



VIVER A RAIA eventos


Mário Chambino (965591703)

quinta-feira, 22 de maio de 2014

VII FESTIVAL DO BORREGO - ROSMANINHAL

VII Festival do Borrego promete receitas para todos os gostos

2014_05_31_BorregoA freguesia de Rosmaninhal, no concelho de Idanha-a-Nova, recebe no fim de semana de 31 de maio e 1 de junho mais um Festival do Borrego.
Na sua sétima edição, o certame é já um enorme sucesso e todos os anos promove uma grande festa em torno das mil e uma maneiras de confecionar o borrego certificado da região.
Tasquinhas, produtos regionais, workshops, concursos de culinária e de tosquia manual, cozinha ao vivo e muita música são alguns dos ingredientes para um evento que celebra a melhor gastronomia tradicional portuguesa e beirã.
Mas esta será também uma oportunidade para degustar receitas diferentes de borrego. A par da gastronomia lusitana, estarão representadas as cozinhas grega, marroquina, espanhola e judaica, todas com grande tradição na confeção do borrego.
O VII Festival do Borrego é uma organização conjunta da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova e da Junta de Freguesia de Rosmaninhal, promovida pela Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa e pelo PROVERE e co-financiada pelo QREN, no âmbito do Programa Mais Centro e da União Europeia através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

quarta-feira, 14 de maio de 2014

VIVER A RAIA

Viver a Raia vivendo na Raia não é um castigo ou um sacrifício, é um prazer que não trocaria de modo algum. O prazer e o sossego que a raia nos oferece compensa o que não nos dá, o que é pena, mas penso que estamos no bom caminho. Hoje a nossa Raia já não é tão madrasta como foi para os nossos pais e avós.

Tenho desenvolvido inúmeras actividades e escrito muito sobre a minha (nossa) terra, o Rosmaninhal, uma vez compreendido outras não! tenho pena que assim seja e provavelmente continuará a ser, porque ainda pretendo escrever muito sobre o nosso Rosmaninhal, mas não se pode agradar a Gregos e a Troianos, nem a invejosos! 

A minha vivência profissional e não só, tem-me dado a oportunidade de percorrer todo o espaço do nosso Distrito e muito do nosso País o que de certa forma facilita ter uma visão global sobre o nosso território, estou a falar sobre o aspecto Histórico/Social, Etnográfico e Paisagístico do nosso território não sobre temas banais que ocupam Quilómetros de páginas de facebook a meu ver alguns bem escusados, mas cada um sabe de si.
Atenção, que não tenho nada contra o Facebook, pois também o utilizo para fazer chegar aos meus amigos e conhecidos aquilo que gosto de fazer, transmitindo conhecimento e informação cultural e acima de tudo dando a conhecer a nossa terra o Rosmaninhal e o nosso território a RAIA TEMPLÀRIA.

É assim que tenho preenchido este anos da minha vida e é assim que pretendo continuar, alargando agora o meu saber ao nosso território Raiano uma vez que tenho mais uma vez oportunidade de interagir com ele através da minha participação nos festivais do Município de Idanha-a-Nova com a ARTERAIA.
Continuarei a ser critico e interventivo, continuarei a defender e a valorizar o nosso Património e as heranças culturais dos nossos antepassados e continuarei sempre a julgar a Raia, não as pessoas da Raia.

Mário Chambino

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Ai Rosmaninhal, Rosmaninhal!!!!

Parece um suspiro de descrédito! Antes não fosse, mas é o que eu sinto. Cada vez menos pessoas, residentes e visitantes, comércio pouco, cafés a fechar praticamente de dia, lugares de convívio nenhuns, actividades de laser pouco, quase nada. Continuo a afirmá-lo preocupam-se mais com o Rosmaninhal os que estão fora. No Rosmaninhal só desunião, desconfiança, insegurança, tudo de mau. É pena ver aqueles que se interessam ser afastados mas os interesses são muitos e, "voilá" a luz começa a iluminar! O rosmaninhal é de meia dúzia.

domingo, 22 de dezembro de 2013


Feliz Natal e um próspero ano novo para todos os meus familiares, amigos e conterrâneos.